00:00:00
09 Aug

É o fato ou acontecimento de interesse jornalístico. Pode ser uma informação nova ou recente. Também diz respeito a uma novidade de uma situação já conhecida.

Texto predominantemente opinativo. Expressa a visão do autor, mas não necessariamente a opinião do jornal. Pode ser escrito por jornalistas ou especialistas de áreas diversas.

Reportagem que traz à tona fatos ou episódios desconhecidos, com forte teor de denúncia. Exige técnicas e recursos específicos.

É a interpretação da notícia, levando em consideração informações que vão além dos fatos narrados. Faz uso de dados, traz desdobramentos e projeções de cenário, assim como contextos passados.

Texto analítico que traduz a posição oficial do veículo em relação aos fatos abordados.

É a matéria institucional, que aborda assunto de interesse da empresa que patrocina a reportagem.

Conteúdo que faz a verificação da veracidade e da autencidade de uma informação ou fato divulgado.

É a matéria que traz subsídios, dados históricos e informações relevantes para ajudar a entender um fato ou notícia.

Reportagem de fôlego, que aborda, de forma aprofundada, vários aspectos e desdobramentos de um determinado assunto. Traz dados, estatísticas, contexto histórico, além de histórias de personagens que são afetados ou têm relação direta com o tema abordado.

Abordagem sobre determinado assunto, em que o tema é apresentado em formato de perguntas e respostas. Outra forma de publicar a entrevista é por meio de tópicos, com a resposta do entrevistado reproduzida entre aspas.

Texto com análise detalhada e de caráter opinativo a respeito de produtos, serviços e produções artísticas, nas mais diversas áreas, como literatura, música, cinema e artes visuais.

Gilmar Mendes, ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), afirmou em entrevista ao jornal argentino Clarín que espera julgar ainda neste ano o recurso de defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) contra as condenações impostas ao petista na operação Lava Jato pelo então juiz federal Sergio Moro.

A defesa de Lula acusa Moro, atual ministro da Justiça, de ter atuado sem a imparcialidade exigida dos juízes. Os advogados do petista pediram que o Supremo leve em consideração as mensagens trocadas entre Sergio Moro e os procuradores da força-tarefa da Lava Jato, que vêm sendo divulgadas pelo site The Intercept Brasil.

Na entrevista, Gilmar Mendes disse que os ministros irão analisar se será possível utilizar os diálogos como evidências no julgamento.

“É importante que [o recurso de Lula] seja analisado. Certamente o que surgirá no debate é se as razões que estão ali [expostas] são suficientes ou se vamos poder usar aquilo que está nas informações do The Intercept”, disse o ministro. “Espero que seja ainda neste ano”, afirmou.

Segundo Gilmar, foi o próprio Moro quem colocou sua atuação sob questionamento quando aceitou ser ministro da Justiça no governo do presidente Jair Bolsonaro (PSL).

“Quem se colocou sob questionamento foi o próprio ministro da Justiça, quando optou por deixar o cargo de juiz e assumir uma função governamental servindo a um governo [de Jair Bolsonaro] que derrotou as forças de oposição e que é beneficiário, de alguma forma, de suas decisões”, disse Mendes. 

“É um juiz que até ontem era juiz, determinou a prisão do principal candidato a presidente da República e depois aceita o cargo de seu adversário”, afirmou o ministro do STF.

Lula deixou a prisão na última sexta-feira, após o Supremo rever o entendimento que previa a execução antecipada de pena, mas está inelegível, enquadrado pela Lei da Ficha Limpa. A Segunda Turma da Corte deve retomar a discussão do caso até dezembro – na prática, o humor político do País acaba influenciando o calendário das sessões.

Embora o Supremo não seja a causa do confronto entre os extremos, no atual cenário, o tribunal vai para o centro da polarização com o julgamento de “Lula versus Moro”. “Estamos num clima conflagrado no Brasil, onde tudo é binário. Se o habeas corpus for concedido, vai reforçar o discurso de Lula de perseguição política. Se for negado, vai acentuar o discurso anti-Lula, de que ele é culpado e teve uma condenação justa. Uma parcela expressiva da opinião pública ficará insatisfeita, seja qual for o resultado”, afirmou o professor de Direito Penal da Fundação Getúlio Vargas de São Paulo (FGV-SP) Davi Tangerino.

Um recurso de Lula contra sua condenação também está pendente de análise no Superior Tribunal de Justiça (STJ) e pode ser afetado pelo entendimento do Supremo. A avaliação de integrantes do STF ouvidos é a de que os últimos acontecimentos enfraquecem o grupo mais alinhado à Lava Jato no tribunal – uma ala capitaneada pelo relator da operação, Edson Fachin, com o apoio dos ministros Luís Roberto Barroso, Luiz Fux e Cármen Lúcia.

Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.

You may be interested

brasil

Operação de IPO da 2W Energia é positiva para o mercado, dizem fontes do setor

Ricardo Dantas - 02/07/2020

A comercializadora 2W Energia pretende realizar uma oferta inicial de ações para levantar recursos para a construção de parques eólicos e solares no Nordeste, visando a venda…

brasil

Josué Eraldo da Silva explica a tecnologia do Bioconcreto

Ricardo Dantas - 12/06/2020

Bioconcreto trata-se da substituição do concreto comum, que segundo Josué Eraldo da Silva, gerente de uma das maiores construtoras do Brasil, a Jacitara de Indaiatuba, é uma…

Justiça

Patroa Sari Corte Real é indiciada por homicídio na morte de Miguel Otávio

- 05/06/2020

Morte de criança negra negligenciada pela patroa branca de sua mãe choca o Brasil. Miguel Otávio foi flagrado sozinho dentro de elevador, antes de cair do 9º…

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.

Most from this category